Controles Internos

O Banpará, com base na Resolução CMN nº 2.554/1998, publicada pelo Banco Central, define Controles Internos como sendo um processo sistematizado, conduzido pelo conselho de administração, diretoria e colaboradores, e estabelecido visando oferecer segurança razoável para o alcance dos objetivos relacionados a operações, divulgação e conformidade, tais como:

  • Efetividade e eficiência das operações;
  • Confiabilidade dos relatórios financeiros;
  • Cumprimento das normas e regulamentos.

O Sistema de Controles Internos do Banco está segmentado tomando por critério os principais elementos inter-relacionados do COSO - The Committee of Sponsoring Organizations, quais sejam:

  • Ambiente Interno
  • Fixação de Objetivos
  • Identificação de Eventos
  • Avaliação de Riscos
  • Atividades de Controle
  • Informações e Comunicações
  • Monitoramento

O Banco utiliza a metodologia de controles e riscos CRSA - Control and Risk Self Assessment, que contempla a avaliação dos riscos e ameaças aos objetivos de negócios; identificação das fragilidades e riscos residuais e o aprimoramento dos controles.

Estrutura de Controles Internos do Banco

Conselho de Administração e Diretoria:

  • Responsável pela implantação e a implementação de uma estrutura de controles internos efetiva por meio do estabelecimento de atividades de controle para todos os níveis de negócios da instituição;
  • Responsável pelo estabelecimento dos objetivos e procedimentos pertinentes aos níveis de negócios da instituição e a verificação sistemática da adoção e do cumprimento dos procedimentos definidos;
  • Responsável por promover elevados padrões éticos e de integridade e de uma cultura organizacional que evidencie e ressalte a importância dos controles internos e o papel de cada pessoa no processo.

Auditoria Interna:

  • Responsável por proporcionar à Alta Administração do Banpará uma avaliação independente, objetiva e criteriosa dos processos de gestão, considerando as estratégias, objetivos e riscos de negócio, de forma a agregar valor à organização e contribuir para melhoria e eficácia da estrutura de governança, gestão de riscos e controles, bem como para sua conformidade à regulamentação interna e externa.

Comitê de Controles Internos e Risco Operacional

  • Analisar e recomendar sobre assuntos concernentes às melhores práticas de governança corporativa que assegurem a eficiência e a eficácia dos Controles Internos, bem como sobre ações mitigadoras dos riscos identificados nos processos operacionais e nos novos produtos e serviços de forma a promover a continuidade dos negócios.

Superintendência de Gestão de Risco Financeiro - Suris:

  • Responsável por administrar o gerenciamento de riscos corporativos do Banco, com a finalidade de eliminar a possibilidade de ocorrências de perdas relacionadas a riscos financeiro e de gerenciamento de capital.

Superintendência de Gestão de Risco Operacional - Surop:

  • Responsável por administrar o gerenciamento de riscos operacionais do Banco, com a finalidade de eliminar a possibilidade de ocorrência de perdas causadas por falha operacional e garantir a continuidade de negócios.

Núcleo de Controle Interno de Compliance - Nucic:

  • Responsável por administrar o conjunto de procedimentos necessários para implementação de Políticas de Controles Internos e de Compliance e procedimentos de controles internos.

Gestores:

  • Responsáveis por monitorar os processos sob sua responsabilidade, buscando a conformidade com os normativos, a adoção dos controles adequados e a prevenção/tratamento dos eventos de risco identificados, atuando dentro dos padrões éticos institucionais e visando ao alcance dos objetivos estratégicos do banco.

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Arquivo